Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Correr na Cidade

Síndrome piramidal – ou falsa dor ciática. O que é isso?

Piriformis_syndrome-es.jpg

Costumo, a brincar, dizer que sou tão pouco flexível que raramente me lesiono. Duro que nem uma rocha. Mas a falta de flexibilidade e rotina de práticas de alongamento tem-me causado nos últimos anos algumas crises da síndrome piramidal, ou como costumo dizer a dor ciática dos corredores. Nome pomposo mas que causa grande desconforto e já me impediu de correr durante alguns meses. 

Mas afinal o que é a síndrome piramidal?

A síndrome do piramidal é a disfunção neuromuscular causada pela compressão ou irritação do nervo ciático pelo músculo piramidal. Esta é uma condição por vezes difícil de diagnosticar por se confundir com dor lombar, ciatalgia (comummente conhecida como dor ciática), hérnia discal ou outros problemas lombares.

O músculo piramidal localiza-se na nádega e está em íntima relação com o nervo ciático, que passa muito próximo do músculo e em algumas pessoas passa mesmo através das fibras musculares. Se o músculo piramidal por uma ou outra razão estiver demasiado tenso pode exercer pressão sobre o nervo ciático e causar dor que irradia pela perna abaixo, dor essa vulgarmente conhecida como dor ciática.

Quais as principais causas da síndrome piramidal?

Os fatores de desencadeamento podem ser diversos desde o excesso de treino, encurtamento do musculo devido à sobrecarga e falta de alongamento ou alguns problemas na região lombar.  

Quais os sinais ou sintomasda síndrome piramidal?

  • Dor nas nádegas que se pode estender à lombar ou até aos pés;
  • Dor, formigueiro ou dormência que irradia pela coxa e por vezes até à barriga da perna;
  • Dor ou mal-estar após várias horas na mesma posição sentado, por exemplo durante a condução.

Qual o tratamento da síndrome piramidal?

De forma geral a síndrome do piramidal responde bem ao tratamento conservador. No entanto carece sempre se ser visto por algum profissional de saúde: 

  • Evitar correr, fazer longas caminhadas ou estar muito tempo de pé;
  • Evitar a atividade que provocou a lesão;
  • Alongamento muscular do músculo em si e dos que estão intimamente relacionados (ver fotografias com exemplos);
  • Fortalecimento muscular.

IMG_7756.jpg

IMG_7758.jpg

Eu tenho alongado sempre depois das corridas e já noto melhorias. 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.