Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Correr na Cidade

Review - Skechers GORun Ride 2: confiança e leveza

ride2_1Há 150 quilómetros atrás, quando comecei a experimentar os novos Skechers GO Run Ride 2 tive duas dúvidas em mente: a) será que iriam superar a boa experiência que havia tido com o modelo GO Run 2? b) será que  iria gostar de voltar a ter muita borracha por baixo dos pés? As respostas estão no final deste texto.Este novo modelo da Skechers tem um drop de 4 mm mas tem também a tal camada extra de sola que, segundo a marca, “proporciona mais conforto no impacto da passada”. Prometido e cumprido! A primeira impressão, para quem andava a calçar ténis mais minimalistas como eu, é que apesar da leveza há borracha a mais e que não faz sentido. Mas faz!Comecei a usá-los cada vez com mais frequência sobretudo naqueles dias em que apetece correr com mais proteção e não sentir todas a pedras da calçada, e quando apetece descansar um pouco os gémeos do esforço de correr com frequência com 0 mm de drop.À medida que os usei com mais frequência mais os GO Run Ride 3 começaram a brilhar. Uma espécie de repetição do slogan que Fernando Pessoa criou para a Coca-Cola: primeiro estranha-se e depois entranha-se.A mesma desconfiança inicial levou-me a testar estes ténis com uma exaustão que até então não tinha feito com outro modelo. Da mais de centena e meia de quilómetros que já fiz com este modelo escolhi duas Meias Maratonas (a do Porto e a Rock’n’Roll de Lisboa) para os testar. E esses importantes testes, onde queremos que os ténis se portem como verdadeiros amigos e não nos arranjem quaisquer problemas, foram decisivos para que os GO Run Ride 2 se impusessem como os melhores ténis que já usei - até ao momento.Apesar de os usar em treinos mais curtos (10K), os GO Run Ride 2 brilham nas médias e longas distâncias. É aí que o tal excesso de borracha na sola faz todo o sentido. São ténis com alguma proteção, mas não muita (aqui os corredores supinadores devem ter atenção, talvez este modelo não seja para vocês). Para além disso a parte frontal é espaçosa o que é ideal para não causar bolhas nos dedos dos pés. Outra das curiosidades é que apesar de terem o “M Strike” no meio do pé o alto que impulsiona o Midfoot Strike sente-se menos que a existente no GO Run Ride 2. Nesse aspeto, e para quem tem um primeiro contacto com os Skechers estes são ténis mais “normais”.ride2_2Em resumo são ténis muito, muito leves, com o apoio necessário para menorizar o impacto das passadas no asfalto. Não têm muito suporte para alguns corredores que o necessitam nas corridas longas (mais adequados para corredores neutros e pronadores suaves). O “M Strike” impulsiona a passada com a parte da frente dos pés, o que ajuda a proteger as lesões nos joelhos e a ganhar velocidade. Contudo, não são ideais para dias com chuva forte (aguentam bem chuviscos).E sim, superaram a experiência que tive anteriormente os GO Run Ride 2 e gosto muito da sensação de amortecimento que este modelo nos dá, o que aliado à sua leveza são, certamente, os ténis que levaria para uma Maratona.Pontos positivos:#Leveza#Amortecimento#Preço#M Strike ajuda na postura da corridaPontos negativos:#A estética. Continuo a achar uma dos pontos mais fracos dos ténis de corrida da Skechers é o seu design. Contudo, os novos GoMeb e os GOBionic Trail já estão bem melhor.#Pouca resistência à água. Não são ténis de corrida para usar à chuva quando esta cai com mais frequência pois demoram a secar.Marca: SkechersModelo:GO Run Ride 2Preço: 80€Nota (de 1 a 5): 4,80Ride2_4 Ride2_5 Ride2_6 Ride2_7 

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.