Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Correr na Cidade

Review: Merrell AllOut Peak

IMG_20150530_073110.jpg

Modelo: Merrell AllOut Peak

 

Testado por: Bo Irik

 

Condições de teste: alguns treinos em Monsanto e Sintra, três etapas no Gerês Trail Adventure e prova Azores Trail Run. Um total de 110km em prova e mais em treinos.

 

Há cerca de um mês partilhei a minha primeira impressão sobre estas sapatilhas, que terminou com “gostei tanto que até me atrevo a dizer que a escolha entre levar os AllOut Rush ou os AllOut Peak na prova dos 60km do Gerês Trail Adventure é difícil. É certo é que será “AllOut” da Merrell!”. Quem leu os meus relatos do GTA, sabe que usei os AllOut Peak em 3 das 4 etapas, sendo que na quarta usei os Merell AllOut Rush. No Gerês, era a menina dos Merrell. Era e serei. Continuo fã.

 

Assim, no passado fim-de-semana, no meu primeiro ultra-trail a solo, levei o AllOut Peak comigo. Ainda bem! Foram uma ótima companhia!

 

10498718_1110407722307950_7664882791631068549_o.jp

Design e Construção

Pessoalmente não sou fã do aspeto destas sapatilhas. A cor, laranja, é engraçada e diferenciadora, mas não gosto muito de ver o realce na sola que sobe até a parte lateral. Esta parte é a placa TrailProtect™ que proporciona suporte e proteção do pé. À noite são espetaculares, pois têm refletores ao longo da parte lateral exterior, não passando despercebidos.

 

O forro parece-me ser muito resistente, com a parte superior em malha ventilada e sintético tratado com M-Select™ FRESH para controlar o odor. Uma grande vantagem em comparação com os AllOut Peak é a palmilha removível (também tratada com M-Select™ FRESH para controlar o odor), que é conveniente para lavagem e para quem precisa de palmilhas para a correção da passada, já que estas sapatilhas foram desenhadas para passada neutra.

 

A língua do sapato é feita de um material diferente do habitual, quase que parece pele. Estranhei, mas é ótima, fixa e não aquece tal como temia.

 

Em termos de peso, com 294g, são ligeiramente mais pesados que os AllOut Rush com 264g mas consideravelmente mais leves que os meus queridos Asics Trabuco, os meus primeiros ténis de trail que pesam 352g.

 

Uma nota interessante é que se trata de um calçado "vegetariano". Não contém materiais de origem animal.

 

Conforto

11064670_1110534152295307_5733133051432992164_o.jp

Nota máxima. Nada a apontar. Mesmo no Gerês, com provas em dias seguidos em que as sapatilhas não tinham tempo para secar completamente, calçavam-se bem. No Gerês foram muitas horas de frio e humidade nos pés, mas na prática não senti nem o frio nem a humidade. Ao passar por rios, a sapatilha liberta a água muito fácil e rapidamente. Para lama idem. Já no Azores Trail Run, num ambiente muito mais seco e quente, também não sofri de pés quentes. Ao correr na areia, o sapato deixa entrar muito pouca areia, não ganhando peso.

 

Foi desde o primeiro dia que fiquei apaixonada pelo conforto dos AllOut Peak, que nunca me causaram bolhas nem desconforto. Sublinho mais uma vez, o espaço para os dedos dos pés -muito importante porque os pés tendem a inchar em longas distâncias.

 

 

Estabilidade e Aderência

Em termos da estabilidade, o pé fica muito bem ajeitado no sapato, penso que em grande parte, é graças à placa TrailProtect™. Gostaria de partilhar que, depois das quatro etapas no Gerês, fiquei com ambos os tornozelos inchados e doridos. Pensei logo que devia ser devido ao excesso de carga, mas por breves momentos também pensei que poderia ter a ver com o AllOut Peak, já que tenho alguma tendência à pronação. No entanto, e assumindo que a lesão seria devido ao excesso de carga, arrisquei e levei estas sapatilhas aos 48km do ATR e conclui a prova com sucesso e sem dores, pelo que conclui que o problema não tenha sido provocado pelo sapato. Ainda bem!

 

A sola Intermédia e exterior tem uma alma moldada em Nylon. No que toca à aderência, estas sapatilhas dão me muita confiança., de facto a tecnologia M-Select™ GRIP ajusta as solas para proporcionar uma tração permanente. No calcanhar, os AllOut Peak têm uma almofada de ar “Merrell Air Cushion” que absorve os impactos e aumenta a estabilidade. Por fim, dou os meus parabéns pela aposta na sola exterior Vibram® com rasgos de 6mm de profundidade. Na prática, nunca me senti tão confiante em descidas mais técnicas e até nas pedras escorregadias no Gerês.

 

Amortecimento

Em termos de amortecimento, a marca anuncia um drop de 6mm, um amortecimento de 24mm e 32mm Stack Height. Para mim, a aposta certa para sapatilhas de trail para trilhos técnicos e indicados para longas distâncias.

 

Os AllOut Peak incorporam tecnologia UniFly™, um sistema de amortecimento inserido na entressola que permite dispersar os impactos e proporciona estabilidade extra para decolagens sólidas. 

 

Preço: 119,90€

 

Penso que a Merrell, que AINDA não é uma marca de referência no mundo do trail, exagerou um pouco no PVP dos AllOut Peak. Na minha opinião, as sapatilhas valem cada cêntimo e eu voltarei a comprá-los quando estes morrerem, mas para quem não conhece, talvez seja demasiado elevado quando comparado com marcas de referência.

 

11312572_10205778259087419_3302552777620256989_o.j

Avaliação Final

Design e Construção: 17/20

Conforto: 19/20

Estabilidade e Aderência: 19/20

Amortecimento: 18/20

Preço: 15/20

Total: 88/100

 

Só não dei 20 a tudo porque há sempre alguma margem de melhoria... Para mim, são AS sapatilhas de trail e tal como disse, quando estas "morrerem", irei comprar as mesmas! Boa, Merrell, estão de parabéns! Continuem assim!

 

Se tiverem alguma dúvida ou questão acerca destas sapatilhas, por favor não hesitem em contactar-me ou comentar abaixo.

 

Boas corridas!

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.