Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Correr na Cidade

Levar pessoas a correr

559777_10153596986350346_425305457_n.jpg

Há poucos coisas melhores, nisto da corrida, que levar alguém a correr. Explico-me. Porque não é levar uma nova pessoa a fazer provas - que com o covid-19 continuam a ser adiadas. É sim dar um pouco mais de saúde, alegria e equilíbrio a essa(s) pessoa(s). E fazê-la gostar de correr. Sozinha ou acompanhada. 

Modéstia e à parte aqui no Correr na Cidade levar pessoas a correr é das coisas que mais temos feitos nestes quase oito anos de existência. Desde os treinos só para mulheres, o Just Girls, aos treinos Sexy Slow a outros marcados à pressa e com nomes espatafurdios criados ainda mais à pressa - ou ainda os treinos que a Bo Irik e o Francisco continuam a fazer todas as segundas-feiras por Lisboa. 

Houve altura em que tínhamos três treinos por semana. De vários níveis diferentes. De trail de estrada, etc. Foram tempos loucos em que entre afazeres familiares e profissionais pensávamos, respirávamos, bebíamos correr na cidade 25 horas por dia. 

Evoluímos, digo eu. Uns saíram para viver o que a vida lhes vai dando. Outros saíram por uns tempos e depois voltaram, como eu. E outros, estoicamente, continuaram e continuam a ser as caras (simpáticas) deste projecto que é muito mais do que isso. 

Conto entre os meus melhores amigos pessoas que conheci através da corrida. Amigos esses que, curiosamente, aquilo que fazemos menos é...correr.Jantamos, bebemos, fazemos crossfit, padel e surf (ou tentamos), e não são raras as conversas entre nós em que a corrida tenha mais do 10% da nossa atenção.

Mas ainda há uma coisa que nos motiva como ninguém: levar uma pessoa a correr. “Vicia-la” saudavelmente. Sentir a sua evolução. Das desculpas pelas paragens nos primeiros treinos ao “um dia estou a pensar fazer uma prova de trail, mas das pequeninas, vamos?”. 

Ainda recentemente eu e o Rui Pinto e noutro dia ainda com o Tiago, fomos correr para o mato de Monsanto com um colega de trabalho, um amigo, posso dizê-lo. E a partilha da corrida, das nossas aventuras entusiasmaram-no. E a conversa foi à volta da corrida, do trail, mas muito mais do que isso. De carros, de motas. De viagens até de gagdets e alta fidelidade. 

Levar amigos a correr é para nós inato. Não para se tornarem cromos da corrida - isso cada um sabe de si - mas para os tornar mais saudáveis e quem sabe aprofundar ainda mais a amizade. É por isso que continua a fazer sentido a existência do Correr na Cidade. Por muitos e bons anos.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.