Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Correr na Cidade

Eu corro porque...

Por Luís Barata da Rocha1RUNNING SUCKSDetesto correr. Preguiçoso por natureza e sem força de vontade, este sempre foi o meu sentimento em relação à corrida. A minha mulher recorda-me várias vezes que há 2 ou 3 anos atrás eu via-os passar a correr (de manhã cedo, ao final do dia, ao frio, à chuva) e comentava que não deviam estar bons da cabeça. Hoje em dia sinto um enorme orgulho em fazer parte desse grupo de incautos que corre ao relento por prazer.THERE'S AN APP FOR THAT (1)Por muito embaraçoso que seja de admitir, estreei-me na corrida com quase 40 anos, para experimentar uma App no iPhone (2). Corri (caminhei?) pela primeira vez uns muito sofridos 3 Km, em pouco mais de meia hora. O facto é que correr me custava. Muito. Mas para minha surpresa e satisfação, correr cada vez mais me custa menos.STATISTICS, STATISTICSEstudos indicam que 42% das estatísticas são inventadas na hora. Incluindo esta. Nos últimos 3 anos corri 365 vezes, num total de 2.700 Km. 65% destes Kms foram feitos de madrugada, 30% à noite e apenas 5% a horas decentes. 100 Km foram sofridos numa passadeira, 200 Km calcorreados no monte e os restantes 2.400 Km conquistados à estrada. Alas, estes números servem para impressionar apenas quem não corre. A mim recordam-me que há 3 anos atrás era um desportista de sofá, com peso a mais, hipertenso e com análises clínicas sofríveis. Para descanso da minha família, sou neste momento uma pessoa mais saudável e feliz, e devo-o em grande parte à corrida.RUN FOR YOUR LIFE (3)Comecei em correr com (ir)regularidade em 2011 por questões de saúde. O meu amigo Francisco viu-se a dada altura a braços com um problema sério de saúde  (4). Com uma enorme força de vontade, começou a andar a pé sozinho de madrugada. Fui-me juntando a ele para lhe fazer companhia e algures no tempo estas caminhadas transformaram-se em corridas. Hoje em dia, numa boa semana corremos 10 Km dia sim dia não, ao nascer do dia, à beira mar, entre a Praia de Matosinhos e a Foz do Rio Douro ou no Parque da Cidade (do Porto). Inicialmente um sacrifício, hoje em dia isto é para mim um enorme gosto.4LEAVE IT ON THE ROAD (5)Segundo a minha filha Maria, corro “para estar com os amigos e para ficar bem disposto para acordar a família”. Correr ajuda-me a limpar a cabeça e a distanciar-me das dificuldades do dia a dia, ganhando perspectiva sobre elas. Depois de correr obtenho paz de espírito e energia para enfrentar um novo dia. Correr dá-me um bem estar e uma felicidade que nunca antes tinha sentido a praticar desporto.RUN TO THE BEAT (6)Consumidor compulsivo de música, a princípio corria muitas vezes sozinho pois era tempo de qualidade comigo mesmo, enquanto descobria música nova. Gosto muito de correr com mais pessoas. Nestas ocasiões a companhia é o mais importante, por isso não corro com música. Mas de vez em quando preciso de (e adoro) correr sozinho, pois posso fazê-lo a ouvir a minha música, ao meu ritmo, sem depender de ninguém.NEVER RUN ALONE (7)Foi através da música (via Gilles Peterson e o seu Worldwide Show (8)) que encontrei o Charlie Dark  (10) e a sua  RunDemCrew (10). Descobri neles as vantagens (em termos de motivação, de superação de limites) de correr com uma “crew”. Tenho neste momento a enorme sorte de fazer parte duma pequena família de corredores com interesses comuns. Permanentemente motivados pela energia contagiante  e boa disposição do meu amigo Carlos, temos ultrapassado em grupo desafios até há pouco inimagináveis, como por exemplo o nosso primeiro Ultra Trail.O difícil é começar, o mérito estará agora em nunca mais parar.(aconselha-se a seguir os links deste texto)

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.