Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Correr na Cidade

Crónicas de uma lesão: a paciência que não tenho!

imagesFazendo contas de cabeça, estou lesionado desde o dia 10 de novembro, ou seja, há cerca de um mês. Um mês com dores, treinos intermitentes, duas idas ao médico, um Raio X e a sensação de, literalmente, ver os outros passar.

Sou impaciente. Com a idade tenho ganho mais resistência a este “nervoso miudinho”, mas custa muito. E no caso desta lesão gostava de saber exatamente o que tenho e quanto tempo terei de estar parado e, já agora, como a curar. É muito irritante uma lesão assim, e passo a explicar.Quinta-feira passada fui ao ortopedista. Fiz Raio X e ele não viu nada. Mandou-me fazer uma ressonância magnética – que, depois de alguma confusão com o seguro de saúde, lá foi marcada para a próxima 2ª feira. Depois terei que esperar mais 4 dias até o exame estar pronto e depois ir novamente ao ortopedista. Que, se não estiver de férias, serei visto, com sorte lá para dia 23 de dezembro.Agora, como isto das lesões é algo recorrente entre nós, corredores. Partilho o que tenho sentido nos últimos dias para saber se alguém me pode ajudar com a sua experiência.Desde a ida ao médico até a última segunda-feira, ou seja, 5 dias, não tive quaisquer dores. Senti-me bem e já começava a pensar que talvez este próximo fim-de-semana pudesse andar de bicicleta e começar a correr dali a mais uns dias. Mas a partir de terça-feira comecei a sentir ardor no osso mais à direita do pé. Aquele “bico” que temos na parte lateral. E durante dois dias tive esta dor que, como andei de sapatos mais duros, penso terem tido influência.Desde ontem à noite que deixei de ter dores (depois de os descalçar), mas hoje de manhã (e não, não me dói ao colocar o pé no chão), fiz exercícios de alongamento com o pé e aí doeu. Quando encolhi o dedo grande do pé, a dor na planta e perto do tal osso doeu. E muito.E pronto, aqui estou com uma ligeira impressão, sem dores, a não ser que estique o encolha o pé. Já me falaram em massagista desportivo, em ortopedista (que já fui e voltarei a ir), em quiriopata e em fisioterapia. Estou baralhado não sei o que fazer, para além de esperar pela ressonância e das seguintes idas aos médicos. Mas será que uma visita a um fisioterapeuta ajuda? Ou a um massagista desportivo? Qual a vossa opinião?

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.