Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Correr na Cidade

Conheçam o ID-Safe, o chip especial da Amsterdam Marathon

Amsterdam-Marathon.png

 Por Bo Irik:

 

Tal como sabem, a participação em provas, principalmente as de maiores distâncias, como é o caso da maratona, envolve alguns riscos para a saúde. É claro que tais riscos podem ser mitigados com uma preparação bem feita, mas é rara a maratona em que não acontecem incidentes. Na Holanda, o meu país de origem, decidiram tomar uma medida para tornar a participação em provas mais segura.

 

Segundo o jornal holandês “Het Parool”, todos os participantes da Amsterdam Marathon em outubro receberão um chip eletrónico especial que contém toda a informação pessoal e médicas do participante, para que os serviços de emergência, em caso de emergência, consigam ter acesso à toda a informação relevante de forma imediata.

 

Na prática, na maioria das grande maratonas mundiais, o dorsal tem um espaço no verso onde podem (e devem) ser preenchidos os nossos dados pessoais e alguma informação médica básica. Contudo, nem toda a gente preenche tal informação e ainda por cima casos de dorsais trocados nas provas também são cada vez mais frequentes, podendo nem o nome que consta no dorsal corresponder ao participante.

Amsterdam Marathon.jpg

O chip especial da Amsterdam Marathon não é de uso obrigatório. A informação que consta no chamado Safe-ID inclui o nome do participante, o nome e contacto da pessoa que deve ser chamado em caso de emergência, eventuais alergias e uso de medicamentos, e se a pessoa em causa quer ser ressuscitada ou não e se é registada ou não como doador. O chip deve ser colocado nos atacadores das sapatilhas dos atletas.

 

De acordo com “Het Parool”, a Câmara de Amesterdão chegou, no dia 2 de Abril, a um acordo com o organizador da maratona e respetivos patrocinadores para disponibilizar o chip aos mais de 43.000 pessoas que participarão no dia 18 de outubro numa das distâncias que constituem o evento. Este medida surge, em resposta aos dois participantes estrangeiros falecidos na Amsterdam Marathon em 2009 e 2013. No ano passado, durante uma das provas mais populares da Holanda, o Dam tot Damloop, faleceu uma estudante de 24 anos de idade.

 

O que acham desta medida?

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.